Ultimas

PPV Review - AEW Full Gear 2020


Data:
7 de novembro de 2020
Arenas: Daily's Place
Localidade: Jacksonville, Florida
 
 
Final do torneio para determinar o candidato principal ao AEW World Championship:
“Hangman” Adam Page vs. Kenny Omega
Combate entre dois habituais parceiros de tag team nos últimos meses, que neste duelo pautaram pela intensidade e, claro, pela qualidade técnica e estética dos golpes.
Quando “Hangman” parecia estar em situação vantajosa, Omega engenhosamente conseguiu aplicar um Aoi Shoudou e arrecadar a vitória.
Vencedor: Kenny Omega
Nota: 8,5/10
 
 
Orange Cassidy vs. John Silver
Fiel ao seu estilo, Orange Cassidy começou o combate de mãos nos bolsos, mas John Silver cortou o mal pela raiz e rasgou-lhe os bolsos.
Embora com estilos distintos, o mais poderoso Silver e o mais ágil Cassidy protagonizaram um combate equilibrado e com alguma emoção. Com mais andamento nestas andanças, Cassidy levou de vencida após executar o seu finisher.
Vencedor: Orange Cassidy
Nota: 6,5/10
 
 
AEW TNT Championship:
Cody Rhodes (c) vs. Darby Allin
Um raro combate em que Cody se apresentou como, de longe, o lutador mais poderoso em ringue. A dada altura, Cody aplicou um Cross Rhodes a partir do topo de um dos cantos, mas o assentamento que se seguiu não chegou ao fim porque o árbitro reparou que Darby Allin tinha uma mão debaixo da corda inferior.
Mesmo sendo um underdog, Darby Allin foi dando um ar de sua graça sempre que Cody cometia erros e acabou por vencer após um pin fall surpreendente.
Vencedor: Darby Allin (novo campeão)
Nota: 6/10
 
 
AEW Women's World Championship:
Hikaru Shida (c) vs. Nyla Rose
Autêntico grudge match, com bastante agressividade de parte a parte. E quando Hikaru Shida parecia ganhar algum fôlego após ter magoado Nyla Rose, foi atacada por Vickie Guerrero.
Apesar de Rose ser mais poderosa fisicamente, Hikaru Shida bateu-se bem, procurando utilizar a sua velocidade e a força da gravidade para levar a melhor, alcançando a vitória após três joelhadas consecutivas na cabeça de Rose.
Vencedora: Hikaru Shida
Nota: 6,5/10
 
 
AEW World Tag Team Championship:
(se os Young Bucks perderem, não voltaram a receber uma oportunidade pelo título; Tully Blanchard banido das imediações do ringue)
FTR (Cash Wheeler e Dax Harwood) (c) vs. The Young Bucks (Matt e Nick Jackson)
Combate entre duas das melhores tag teams do business, muito equilibrado, com períodos alternados de domínio por parte de cada uma das equipas.
A dada altura os Young Bucks aplicaram um 3D e uma sequência de Twist Of Fate seguido de Swanton Bomb, mas o assentamento que se seguiu não passou da near fall. Foi apenas o princípio de uma fase verdadeiramente alucinante e emocionante, com momentos em que ambas as duplas estiveram perto do triunfo.
Os FTR estiveram a vitória quase assegurada após um Spike Piledriver em Matt Jackson, mas este conseguiu colocar um pé na corda inferior a meio do assentamento. Depois Harwood esteve quase a fazer Matt desistir, mas Nick surgiu em cena para lhe aplicar um 450 Splash.
Depois Cash Wheeler acusou algum excesso de confiança e tentou vencer com um Springboard 450 Splash, mas falhou o alvo e Matt acertou-lhe com um potente Superkick antes de avançar para o pinfall vitorioso.
Vencedores: The Young Bucks (Matt e Nick Jackson) (novos campeões)
Nota: 9/10
 
 
The Elite Deletion match:
Matt Hardy vs. Sammy Guevara
Confesso que não sou grande apreciador deste tipo de combates, disputados quase na totalidade no exterior do ringue – e se metem foguetes e interferência exterior, muito menos. E também não sou grande apreciador de Matt Hardy nem tampouco perceber o facto de todas as companhias o contratarem quando este está disponível – acho-o desajeitado e pouco carismático, independentemente do papel que desempenhe.
A meio do combate perdi o foco, embora tenha assistido à violenta cadeirada que acabou por ditar a vitória de Hardy.
Recuso-me a atribuir uma nota a algo que não foi um combate de wrestling.
Vencedor: Matt Hardy
Nota: -
 
 
Chris Jericho vs. MJF
(Se MJF ganhar, poderá juntar-se aos The Inner Circle)
Digam o que disserem, para mim Chris Jericho já deu o que tinha a dar. Já não tem uma figura nem níveis físicos para andar nestas andanças. A idade pesa, a barriga ainda mais, e há que saber parar. Bem que podia ter estado ativo no pro wrestling em 2006 e 2007 e dedicar-se à música agora. Está a arrastar-se.
Quanto ao combate em si, não foi mau, mas também não foi nada de extraordinário. Se há coisa que nunca falta a Jericho é humildade para perder lutadores menos conceituados. Foi o que aconteceu desta vez, via roll-up.
Vencedor: MJF
Nota: 6/10
 
 
“I Quit” match pelo AEW World Championship:
Jon Moxley (c) vs. Eddie Kingston
Combate que teve um aumento gradual de intensidade e de impacto dos golpes. Numa altura em que já havia sangue, Jon Moxley foi projetado para cima de pioneses e depois ainda levou com álcool em cima, para que as feridas provocadas pelos pioneseses causassem ainda mais dor.
Em retaliação, Moxley enrolou um pedaço de arame farpado num braço e aplicou uma submissão junto à garganta de Eddie Kingston, fazendo-o dizer “I Quit”.
Vencedor: Jon Moxley
Nota: 7/10

Sem comentários:

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.