Ultimas

Lucas Headquarters #20 – Como enterrar monumentalmente uma stable


 Ora então boas tardes, comadres e compadres! Como estão? Sejam bem-vindos a mais uma edição do “Lucas Headquarters” aqui no WrestlingNotícias! 

Com que então lá chegámos ao Halloween, não é verdade? Cá para mim a gente só celebrava isto se os nossos compadres americanos tivessem importado os Santos Populares. Que divertido que seria vê-los a dançar a “Cabritinha” ou o “Apita o Comboio” enquanto enfardavam quilos de Sardinha Assada e davam marteladas nas cabeças uns dos outros. Ai, o que um gajo se põe a pensar em tempos de “pandumia”…

E como estamos em altura de Bruxedo, vamos falar de uma certa rapaziada que anda por esse RAW a fazer não se sabe bem o quê, liderados por um gajo que até era porreiro, que tinha já o carinho e o respeito dos fãs e que de repente se vê a liderar um quarteto de gente onde em condições normais ele próprio seria o elo mais fraco.

Uma stable que assusta verdadeiramente… pelo facto de não ser assustadora coisa nenhuma.

Isso mesmo, malta, adivinharam. Falemos dos Retribution.

Ora bem, eu diria, do alto do meu sarcasmo misturado com senso comum, que os Retribution parecem aqueles gajos da Secundária que têm a mania que são bullys e andam com as hormonas aos saltos: Querem meter medo, mas no fim só dão despesa.

Despesa monetária, porque os fãs vão ver quatro gajos que tinham um hype enorme à sua volta e perderam por 3 vezes num curto espaço de tempo, fazendo com que todo esse hype fosse reduzido a nada. E despesa temporária, porque um gajo podia estar a ver wrestlers que fossem decentemente bookados e aproveitados, e no fim tem que aguentar 20 minutos de enterro às mãos dos Hurt Business.

Atenção, pessoal, apesar de estarmos a existir a um monumental enterro, a WWE nem fez tudo mal. A forma como eles revelaram Mustafa Ali como sendo o cabecilha deste grupelho até que não foi tão má quanto isso. Para além disso, deu-nos a oportunidade de ver um outro lado de um wrestler que julgávamos ser um eterno babyface perdido algures no roster. E aí estiveram bem.


Só que, por uma coisa que fizeram bem, fizeram duas mal. Passo a exemplificar:

Retirada de um dos membros pouco depois da estreia


Para quem ainda não sabe ou não se apercebeu, os membros originais dos Retribution são T-Bar (Dominik Dijakovic), Mace (Dio Maddin), Slapjack (Shane Thorne), Reckoning (Mia Yim) e Retaliation (Mercedes Martinez, atrás na foto). Ora, a WWE resolve, às três pancadas, retirar Retaliation do grupo, fazendo-o de forma discreta, sem grandes justificações. 

Será que não aprenderam nada com a forma como arruinaram os Nexus? Será que não tiraram lições das constantes divisões que com eles fizeram, pondo e dispondo dos seus membros e transformando-os nos New Nexus (liderados por CM Punk) e nos Corre (liderados por Wade Barrett)?

Como é que estavam à espera que eles fizessem coisa de jeito se começaram por retratá-los como um grupo que só queria porrada e depois os dividiram por dá cá aquela palha? Não é que Retaliation a esta altura faça grande diferença, mas é impossível prever um bom presságio quando sabemos que algo semelhante aconteceu no passado e acabou a não resultar.

Sacrificá-los para wrestlers que já estão estabelecidos no roster

E aqui nem me refiro tanto aos Hurt Business, que até estão a resultar bem como stable, Se estivessem separados andariam cada um a ser jobber à sua maneira, e o seu surgimento enquanto quarteto anda a fazer maravilhas quer para Bobby Lashley, quer principalmente para Cedric Alexander.

Refiro-me antes ao segmento de abertura de um dos mais recentes episódios do RAW, onde os Retribution partilharam o ringue com Joker e Harley… ups, The Fiend e Alexa Bliss. 


Ora bem, The Fiend e Bliss enquanto “casalinho” estão bastante over entre os fãs (e com razão, diga-se, a WWE acertou em cheio nesta parelha). Mas a WWE acha mesmo que colocar os Retribution contra The Fiend (e tendo em conta a forma como The Fiend, também ele, costuma ser bookado) ia fazer maravilhas para eles?

A WWE acha mesmo que colocar os Retribution a serem trocidados pelo The Fiend depois de já terem perdido duas vezes para os Hurt Business ia resolver os problemas?

Se a WWE queria bookar os Retribution como heels, falharam redondamente. Não só lhes deram três derrotas, como permitiram que fossem atacados em superioridade numérica. Dadas as circunstâncias, a credibilidade do grupo é agora praticamente nula. Podiam até dar-lhes dez vitórias seguidas, que os fãs irão sempre lembrar-se dos Retribution como o grupo que levou sova atrás de sova, e que foi enterrado até ao esquecimento.

Em suma, os Retribution são aquilo que podia ter sido e não foi, a rebeldia que não se manifestou no seu todo e um falhanço enorme da WWE. Consola-me o facto de terem futuro como potenciais membros dos Slipknot, se é que me entendem…


E desse lado, que opiniões têm a respeito dos Retribution e do seu booking miserável?

E assim termina mais uma edição dos "Lucas Headquarters"! Não se esqueçam de passar pela página do WN, deixar a vossa opinião nos comentários, sugerir temas... o costume. Para a semana cá estarei de novo com mais um artigo.

Peace and love, pessoas! Feliz Halloween!

 

2 comentários:

  1. Eu me surpreendi com a velocidade em que eles foram enterrados por que foi logo de cara. Achava que eles iriam durar até o Survivor Series. Mas o grupo nunca foi grande coisa, então o enterro rápido foi uma economia de tempo

    ResponderEliminar

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.