Ultimas

Lucas Headquarters #18 – As Rosas que Thunder pode oferecer (e uma Women’s Division cheia de flores por abrir)



Ora boas tardes, meninos e meninas, carecas e cabeludos, barbudos e sem barba! Como estão? Sejam bem-vindos a mais uma edição do “Lucas Headquarters” aqui no WrestlingNotícias! Desse lado como está a ser a vossa contingência? Pois é maltinha, eu sei que é difícil, sei que já está tudo farto disto mas protejam-se, quanto mais depressa se protegerem mais depressa o bicho abala. E vejam o lado positivo: O Natal está a 97 dias de distância! Nem tudo é assim tão mau…

Bom, hoje venho falar-vos de uma wrestler cujo trabalho já me anda a despertar curiosidade há algum tempo. Ela apareceu no último All Out, tem sido presença regular no Dynamite e não tem deixado créditos por mãos alheias. Falo-vos de… Thunder Rosa!


E vocês podem pensar “isto da Thunder Rosa vir para a AEW é tudo muito giro e tal, mas o que pode ela oferecer a uma Women’s Division como a da AEW?”.

Partindo do geral para o particular, muita coisa, meus amigos. Mais do que vocês imaginam.


Uma Women's Division subestimada

Thunder Rosa encontra na AEW uma divisão que tem sido subestimada pelos próprios responsáveis da empresa. Desde o início que o booking das wrestlers femininas da companhia não tem sido o melhor.

Para já, porque logo no início colocaram Riho, que tem apenas 22-23 anos (pouco mais velha do que eu, portanto) à cabeça da Women’s Division. Como é que uma campeã que não fala inglês, que não é das melhores performers que a AEW tem, e que não é imponente fisicamente pode ser campeã? Mais, desde que perdeu o título para Nyla Rose que Riho raramente é vista e achada...


Muita cabeça, mas pouco star power

Não bastasse só isto, falta a esta divisão um certo star power. Para além de Rosa (que não tendo passado por nenhuma das grandes empresas de wrestling, tem bastante experiência no seu currículo e é NWA World Women’s Champion) que grandes nomes é que a divisão tem? Britt Baker D.M.D. e… mais quem? 


Pois… Big Swole parece estar muito longe desse patamar, Hikaru Shida só agora lá chegou, mas tem-se conseguido manter (vamos ver até quando…). Ter Rosa como um dos poucos grandes nomes da Women’s Division da AEW vai empurrar-lhe toda a responsabilidade para cima dos ombros, o que poderá não ser benéfico para ela.

No entanto, e como não há mal que sempre dure, a chegada de Thunder Rosa pode trazer muitas coisas boas, a saber:

Mais tempo de antena


Agora vocês vão ler isto, deparam-se com este ponto e vêm ter comigo e dizem-me "oh Alex, mas pouca gente a conhece!". E não deixam de ter a vossa razão. 

Mas se pensarmos que Thunder Rosa é campeã em Título (embora de uma empresa do circuito independente) e já tem 34 anos (o que lhe dá um certo nível de experiência) chegamos à conclusão de que pode estar nela a chave para que o roster feminino da AEW seja cada vez mais difundido durante o Dynamite. 

Rosa é uma wrestler com bom look, bom estilo de wrestling… não vejo porque não poderia ter um papel decisivo lá dentro.

Competição com o NXT

O NXT tem uma divisão recheadinha de talentos: Io Shirai à cabeça, Rhea Ripley (que já foi campeã e esteve na Wrestlemania), Dakota Kai, Candice LeRae… tudo mulheres que já estiveram no topo do NXT (Ripley), alcançaram o estrelato no circuito do seu país de origem (como é o caso de Shirai) ou que também já estão experimentadas a nível do circuito independente (como é o caso de Candice LeRae).



Apesar de faltar algum starpower à divisão da AEW, creio que a chegada de Rosa poderá ser uma cartada na medida em que poderá colocar a divisão da AEW mais próxima da WWE em termos de nível e desse mesmo starpower, embora ainda tenha um longo caminho a percorrer.

Em suma, penso que a chegada da Thunder Rosa serve para remediar muitos destes erros (e mais alguns) que a AEW continua a cometer com a sua Women's Division. Esta chegada apenas peca por tardia, mas poderá finalmente dar ao roster feminino da AEW tudo aquilo que tem vindo a necessitar, desde que saibam aproveitar corretamente toda a experiência que a mexicana tem para oferecer.


E vocês, o que acham que a chegada de Thunder Rosa à AEW poderá trazer?

E assim termina mais uma edição do "Lucas Headquarters" aqui no WrestlingNotícias! Não se esqueçam de passar pela página do WN, deixem as vossas opiniões nos comentários, sugiram temas... Para a semana cá estarei com mais uma edição!

Peace and love, muchachos!

1 comentário:

  1. falemos é da fantástica knockouts division do Impact, meu caro, amigo....muito superior a isto!

    ResponderEliminar

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.