Ultimas

Lucas Headquarters #11 - And The Pirate Is Set To Sail


Ora então boas tardes, comadres, compadres e avecs (que já estamos a entrar na época deles)! Bem-vindos a mais uma edição do "Lucas Headquarters" aqui no WrestlingNotícias! 

Como estão? A derreter ao sol, imagino…  E também imagino que já estavam com saudades do vosso Alex, não era? VOLTEEEEEEEEEEEEEI! E sim, antes que me perguntem, a semana de férias foi boa, deu para fazer quase tudo, mas senti-me só sem os meus fiéis leitores. Faltava uma parte de mim…

Bom, na última edição falei-vos do “The Fiend” Bray Wyatt, e na edição desta semana vou continuar a falar-vos de superstars em específico. O que é que a Superstar desta edição e o nosso “Mr. Rogers” têm em comum, you ask? Ambos merecem mais. Diria até bastante mais. São bons wrestlers, são consensuais entre os fãs, mas às vezes o booking estraga tudo.

Esta semana venho falar-vos da “Pirate Princess” e uma das metades das Kabuki Warriors, Kairi Sane!


Kairi Sane (ou Kairi Hojo, para quem a acompanhava no período pré-WWE) tem tudo aquilo que se pede numa wrestler da sua idade. Boas perspetivas de futuro, uma boa dose de carisma e um move-set não menos bom. E a WWE pareceu ver tudo isso nela, e por isso a contratou. Levou-a à glória, deu-lhe, com justiça, a primeira edição do Mae Young Classic e fez dela NXT Women’s Champion.

No NXT, Kairi Sane teve grandes feuds e colecionou grandes momentos. Provou tudo aquilo que se dizia dela, e mais alguma coisa. Mas depois chegou o Main Roster e, como já vem sendo habitual, a WWE borrou a pintura a seu respeito e emparelhou-a com Asuka.


E isso não foi de todo uma má decisão, mas fez com que o brilho de Kairi Sane ficasse ofuscado perante a experiência e o currículo de Main Roster que Asuka já apresentava na altura, causando a saída de Sane da WWE pela porta pequena (ou será melhor dizer minúscula?). 

Consumada a saída da "Pirate Princess", a pergunta que está nas bocas de toda a gente é a seguinte:

O que faltou a Kairi Sane para brilhar na WWE?

Na minha opinião, o que lhe faltou primeiro que tudo foi a oportunidade de brilhar a solo. E sim, as Kabuki Warriors até foram uma ideia engraçada, tinham uma boa química e tal e coiso, mas enquanto Asuka já tinha a sua carreira no Main Roster mais que feita, ainda faltava a Kairi Sane uma oportunidade para brilhar, que não chegou a ter. 

Até podia ter sido Women's Champion pelo caminho ou não, e na verdade isso pouco interessava porque muitos dos grandes nomes de sempre da WWE não foram assim tão titulados quanto isso. Mas faltou-lhe a oportunidade de mostrar o que vale, de ouvir das bocas dos fãs "sim senhor, é uma grande lutadora, deu-nos grandes combates e grandes momentos" e ela era mais que merecedora disso.

Em vez de ter tido a oportunidade a que tinha direito, Sane foi parte de uma dupla em que a luz da ribalta estava quase sempre na parceira, que já tinha a sua carreira no Main Roster mais que feita e que sairá da WWE como um dos grandes nomes da História da sua Divisão Feminina. Não custava nada puxar um pouco pela Kairi, se agora estão dispostos a fazer isso com outros nomes como Big E...


Segundo, um heel turn? A sério? Como se já não bastasse a falta de oportunidades a solo e a luz da ribalta estar na parceira, ainda resolveram fazer com que as Kabuki Warriors se tornassem heelsE eu não sei quanto a vocês mas… eu quando olho para o que a Sane faz no ringue e para a forma séria e ao mesmo tempo engraçada e carismática como encarna a sua gimmick, eu não consigo odiá-la, da mesma forma que não consigo odiar a Becky Lynch ou o Undertaker, por exemplo. 

wrestlers que são tão bons naquilo que fazem que a malta sente um carinho especial por eles. E na WWE hoje em dia cada vez há mais – Kevin Owens, Randy Orton, Drew McIntyre, Aleister Black, para além dos nomes já mencionados – pelo que se torna cada vez mais difícil separar faces de heels

E a Kairi é uma face por natureza, penso que isso está mais que visto. Não há cá atitudes forçadas nem sacrifícios para tentar parecer boazinha, aquilo sai-lhe por instinto.


Sim, às vezes é necessário desempenharmos um papel diferente para não estagnar a personagens, mas há casos em que um turn acaba a não ter resultados, e Kairi Sane é um desses casos.

E vocês, o que acham que faltou à “Pirate Princess” para brilhar na WWE?



E assim chega ao fim mais uma edição do “Lucas Headquarters” aqui no WrestlingNotícias! Não se esqueçam de passar pela página do WN, de deixar a vossa opinião dos comentários, de sugerir temas para o futuro, essa coisada toda. Vemo-nos na próxima semana com mais um artigo!

Peace and love, pessoal!

5 comentários:

  1. "O que faltou a Kairi Sane para brilhar na WWE?"


    Promar em bom inglês ou um bom manager que tapasse essa falha.

    ResponderEliminar
  2. ^

    Exatamente. Você disse tudo.



    ResponderEliminar
  3. O problema é que se concentram muito nos ************ matches do dave meltzer e menos no que faz alguém ficar 'over'

    e não, a Asuka, não está 'over'.


    Como o fazer?


    Respondo com uma pergunta: A Kong na TNA andava sozinha ou acompanhada?


    Tão acompanhada que a sua entourage chamava-se....Kongtourage

    https://ringthedamnbell.files.wordpress.com/2019/01/kongtourage.jpg?w=670


    Diferenças como bookar correctamente alguém fraco no mic.

    ResponderEliminar
  4. "If you don't know hou to cut a promo or can't cut a promo... you're not going to get over."

    - Eric Bischoff

    O seu exemplo da Awesome Kong na TNA foi bom.

    ResponderEliminar

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.