Ultimas

ROH 17th Anniversary Show | Preview


A Ring Of Honor apresenta o seu PPV de comemoração dos 17 anos de existência no mundo do wrestling chamado 17th Anniversary Show, onde como grande destaque será a defesa do ROH World Championship, em que o pretendente e atual ROH World Six-Man Tag Team Champion Matt Taven receberá finalmente a sua oportunidade pelo título ao desafiar o campeão Jay Lethal.

Para além disso, também contamos com a defesa dos ROH World Tag Team Championships, em que os campeões históricos The Briscoes defendem contra Brody King e PCO dos Villain Enterprises e ainda a defesa do Women of Honor World Championship em que a nova campeã Mayu Iwatani defende contra Kelly Klein. Tudo isto e muito mais...

Os combates confirmados para o evento são os seguintes:

CARD

ROH World Championship Match
Jay Lethal © vs. Matt Taven

ROH World Tag Team Championship Match
The Briscoes Brothers (Jay & Mark Briscoe) © vs. The Villian Enterprises (Brody King & PCO)

Women of Honor World Championship Match
Mayu Iwatani © vs. Kelly Klein

ROH World Television Championship Match
Jeff Cobb © vs. Shane Taylor

Tag Team Match
The Kingdom (Vinny Marseglia & TK O'Ryan) vs. Lifeblood (Tracy Williams & Mark Haskins)

Singles Match
Bandido vs. RUSH

Singles Match
Kenny King vs. Marty Scrull

Singles Match
Silas Young vs. Jonathan Gresham

PREVIEW




Singles Match
Jonathan Gresham vs. Silas Young

Chris JRM – Último combate anunciado para completar o card e fazer colidir estilos e personalidades. Que não podia realmente haver estilos e personalidades mais díspares que a destes dois, que naão terão muita simpatia um pelo outro, por essas diferentes ideias e por recentes conflitos entre variadas personalidades do plantel e Bully Ray, autor de variadas atrocidades.

A história na qual se focarão muito durante o combate é precisamente a do pouco historial que têm entre eles, sendo este apenas o segundo encontro entre os dois. A vitória anterior de Silas Young no seu embate será a nuvem a pairar sobre eles e o que me faz acreditar que neste interessante combate de aquecimento - se não for a abertura, deve vir logo a seguir - a coisa será equilibrada mas sorria para o "polvo" Gresham.

Não só porque ele, mesmo após já ter crescido imenso, continua em crescimento e os deus dotes técnicos estão a chegar-se cada vez mais à frente e uma boa vitória com esses mesmos dotes só traz benefício. E assim empata a disputa e até cheira que ele venha a ter novas disputas por ouro num futuro não tão distante.

Vencedor: Jonathan Gresham

Fábio Santos – No mundo do wrestling vai sempre haver casos bicudos e neste combate não é exceção, pois num lado tens um dos melhores lutadores técnicos (Jonathan Gresham) e no outro tens um veterano que ainda consegue ser um "heel" à moda de espancar todos e mais alguns (Silas Young), portanto espera-se aqui um confronto interessante.

Quando falo em caso bicudo é no sentido que ambos os lutadores têm a ganhar com esta vitória pois por um lado creio que Gresham está mais que pronto para começar a ser destaque na ROH, enquanto que no outro lado, Silas precisa de vencer para se algum dia voltar a ser uma ameaça pelo título principal.

No entanto, quero apostar no Gresham pelo facto de ser aquele que mais necessita, pois o Silas Young acaba por ser aquele lutador que tem o "amor à camisola" e se for preciso perder, ele faz questão para credibilizar a derrota, daí que aponto a vitória para Gresham.

Vencedor: Jonathan Gresham



Singles Match
Kenny King vs. Marty Scurll

Chris JRM – O inevitável que ia ter acontecer: o "Villain" deixar de ser um vilão porque já era demasiado popular. Já sem associação aos Bullet Club, parte para um novo rumo onde lidera e tem a sua carreira a solo em vista - lá se abasteceu com uma metade dos Quebecers e siga, que já temos stable!

Ele já venceu o seu direito a um combate pelo TV Championship. E Kenny King acredita e defende que ele é merecedor de um combate pelo World Championship. E além dessas divergências, não se curtem lá muito um ao outro.

Que é a principal base que os coloca frente a frente. As simpatias que vão trocando, os golpes baixos. Enfim, é só amor. E será um igualmente amoroso combate, até deixo assim uma nesga aberta para que a feud não se conclua aqui e algo aconteça que a faça prolongar.

Com coisas em jogo, já que ambos têm coisas a reivindicar. Mas sem olhar a isso, após um combate muito divertido e com bem mais história que um mero spotfest, veria Marty Scurll a vencer, por também ter o seu grupo ainda criado de fresco e a beneficiar de umas boas vitórias - quando duvido, mas considero, que conquistem os Tag Team Championships aos Briscoes - especialmente aqui do seu líder. Com um bem temporizado e aplicado Chickenwing.

Vencedor: Marty Scurll

Diego Meira – Um combate entre dois dos pilares do midcard da RoH parece uma ideia bastante atrativa. Juntando a isso o fato da luta ocorrer na cidade natal de um deles, e que este “um” tem ganhado diversas vezes do outro das maneiras menos limpas possíveis, faz com que muitos não consigam esperar para ver a luta começar.

Kenny King seguiu enfrentando Marty Scurll ao longo dos meses em diversas oportunidades, mas em todas aquelas onde se sobressaiu ao “Villain” utilizou de métodos pouco honrosos para alcançar a vitória. Não é preciso pensar muito sobre como uma vitória aqui serviria de vingança para Marty, ainda mais porque o britânico não é de permitir que lhe façam de idiota.

O fato do combate ser na terra natal de Kenny pode ser bom e ruim ao mesmo tempo para este. Apesar de poder encontrar apoio de seus compatriotas, sua personalidade heel pode fazer com que estes rapidamente pendam ao lado de Scurll, e isso pode muito bem distraí-lo durante a luta. E sabemos que com um “vilão” não se deve ter distrações.

Assim, considerando também as possibilidades futuras que envolvem Marty (mais especificamente, sua disputa com o Kingdom e aspirações ao título de Jay Lethal), acho que ele vai conseguir se vingar da vergonha que King lhe fez passar, e dará o próximo passo na busca pelos cinturões que almeja, seja o de trios, seja o título mundial.

Vencedor: Marty Scurll



Singles Match
Bandido vs. RUSH

Chris JRM – Um desafiou e o outro aceitou. Tão simples quanto isso, até porque nem era preciso mais, o combate agendava-se sozinho. Duas recentes contratações quentes, loucos high flyers e a representar a lucha libre na Ring of Honor.

É claro que se iam enfrentar. Não iam estar a perder muito tempo antes de colocar esses dois aos pinchos no ringue e a deixar o exaltado povo vesgo a tentar acompanhar-lhe os passos. Que não andarão propriamente a passo.

Mas há uma coisa a alertar. Será um combate com adrenalina lá no alto. Mas de agradar a todos? Estão a ver aqueles vídeos que vão percorrendo a mostrar spots em indys com uma sucessão de uma data de manobras de alto impacto a ser aplicadas uma após a outra com zero sell? - não há algo protagonizado por algum destes, mesmo? Pronto, é possível que aqui optem por parecido.

Muitos não apreciarão o tipo de acção que se poe desenrolar aqui. É para um público ruidoso a reagir em pasmo a cada spot louco que será este combate e não para os mais puristas. Uma descarga de spots que excite bastante no momento, mesmo que não se torne tão permanentemente memorável.

É o que se espera que saia daqui e não acho que vão tentar enganar muito a tentar vender qualquer coisa. Flips para um lado e para o outro. Equilibrado. Pode pender para qualquer um mas defendo que vá para um integrante de um grupo que acho que precise de ganhar todos os combates em que esteja envolvido, esta noite.

Vencedor: Bandido

Fábio Santos – Não quero fazer comparações, mas juntas estes dois como uma equipa e tens a solução da ROH para colmatar a saída dos Young Bucks (tirando a parte do merchandise). Fora de brincadeiras, temos aqui um potencial combate da noite entre dois talentos natos!

Desde que se estrearam na ROH, nenhum deles sofreu uma derrota oficial e basicamente a ideia deste combate é promover apenas o wrestling praticado por ambos, no qual por um lado é bom mas falta sempre aquela parte que é essencial neste mundo, que é a história que levou à marcação disto.

De qualquer das formas, acredito que venha uma excelente colisão e creio que seja Bandido a obter a derradeira vitória neste combate!

Vencedor: Bandido



Tag Team Match
Lifeblood (Tracy Williams & Mark Haskins) vs. ROH World Six-Man Tag Team Champions The Kingdom (Vinny Marseglia & TK O'Ryan)

Chris JRM – Os Kingdom são suficientemente detestáveis para que toda a gente tenha problemas com eles, as coisas têm é que se resolver umas de cada vez. Seria de esperar que, ao serem honrados com a apresentação dos Villain Enterprises, que agora levassem com eles pelos Six-Man Tag Team Championships.

Mas isso terá que aguardar para o dia seguinte, para as gravações, porque os líderes dos trios têm outros assuntos importantes a tratar na noite de aniversário, especialmente Matt Taven. Mas há mais grupos que não gostem lá muito dos Kingdom.

Como os recém-formados e apresentados Lifeblood, que patrocinaram e participaram na destruição do título fajuto de Matt Taven. Recorrendo às próprias armas de estimação do Sr. O'Ryan e do Sr. Marseglia.

Já dá para se marcar algo, com bom heat, com Mark Haskins e Tracy Williams a representar os Lifeblood contra os detestáveis TK O'Ryan e Vinny Marseglia, num combate que ainda tem alcaboiço para roubar uma porçãozinha do show. Defendo que os Lifeblood precisam de domínio - quer como boa gente ou como potenciais futuros vilões - e as vitórias têm que vir imediatamente e prolongar-se.

Peço desculpa aos Kingdom, eles lá terão os seus cintos ainda - pelo menos até ao dia seguinte, depois vê-se - mas a loucura dos seus integrantes e machados a acompanhar não deverão ser suficientes para deter este promissor sangue novo que vem para virar a Ring of Honor ao contrário, para aquilo que eles acham que ela realmente era e devia ser.

Vencedores : Lifeblood (Tracy Williams & Mark Haskins)

Fábio Santos – Lifeblood... grupo criado para reestabelecer a honra de volta à Ring of Honor e que parece a coisa mais aleatória de sempre em termos de juntar lutadores. Nada contra o grupo, porque são nomes interessantes e bem bons no que fazem, mas fizeram isto de uma forma bem apressada pois de um momento para o outro, a ROH deixou de ter um dos grupos mais fortes, Bullet Club.

Seja como for, este combate tem um bocadinho de história, pois os outros dois membros dos Kingdom tiveram de assistir juntamente com o líder à destruição do "verdadeiro" ROH World Championship, com os Lifeblood a bloquearem o caminho, enquanto Jay Lethal destruía o cinto juntamente com Tenille Dashwood!

Eu vou pela teoria que, se Taven vence no "main-event", os Kingdom ganham aqui neste combate, mas como acho que não é isso que vai acontecer e como os Lifeblood precisam de se estabelecer como um grupo dominante, vou apostar em Tracy e Haskins.

Vencedores: Lifeblood (Tracy Williams & Mark Haskins)



ROH World Television Championship Match
Jeff Cobb © vs. Shane Taylor

Chris JRM – Pronto, assim sim, tinha que chegar. Jeff Cobb, o dominante Jeff Cobb, a lidar com alguém do tamanho dele. Não é bem o caso, ele é encorpado mas baixo e o Punishment Martinez até é um cavalheiro bem grandinho, mas esse lá tinha para onde ir.

Em termos de força e poder brutos, já Cobb tem à sua frente um bom rival em Shane Taylor que lá descobriu que mais giro que andar a ser pago por outros pequenotes para fazer a folha a alguém, é ganhar um título e facturar os desejados trocos a partir disso mesmo.

Os seus estilos não são tão semelhantes como possa parecer à primeira e como talvez tentarão vender um pouco. Jeff Cobb mistura bastante a força com o atletismo, enquanto Shane é bem mais à base da força bruta. Estilos ainda chegam a colidir e dá para um combate interessante.

Mas a história é a de que as coisas estão mais difíceis para o Campeão, já não vai poder dominar este brutamontes da mesma forma que já fez com outros e entra aqui como um falso underdog, só porque vai passar um pouquinho mais de trabalho.

Mas "dominante" é uma palavra-chave aqui, que é que deve ser o reinado aqui do ex-Matanza e ainda não teve a longevidade para isso. Deverá reter aqui o cinto, com um obstáculo difícil, algo que apenas irá aumentar. Afinal o quão especial é Shane Taylor, de qualquer forma?

Vencedor: Jeff Cobb (AINDA CAMPEÃO)

Diego Meira – Um novo encontro entre colossos na disputa pelo Television Title. Ano passado, Shane Taylor e Jeff Cobb se enfrentaram sem o título em jogo, e o gigante da Polinésia levou a melhor, ainda que recebendo uma boa ofensiva do adversário. Nesta segunda oportunidade, Shane pode conseguir aquilo que ninguém ainda foi capaz: derrotar Jeff.

O campeão continua sendo uma máquina imparável, mas Taylor também vem demonstrando grandes melhorias em suas habilidades, e dificilmente será um adversário fácil para ele. Entretanto, o grande show conjunto com a New Japan, no Madison Square Garden, se aproxima, e não acredito que seja do interesse da RoH retirar de Cobb o cinturão agora.

Consigo ver uma luta intensa entre os dois, mas no final das contas, deve ser Jeff Cobb a emergir campeão e seguir sua trilha imaculada ao grande evento do MSG.

Vencedor: Jeff Cobb (AINDA CAMPEÃO)



Women of Honor World Championship Match
Mayu Iwatani © vs. Kelly Klein

Diego Meira – Mês passado, no Bound by Honor, Iwatani Mayu sagrou-se a nova campeã feminina da RoH ao vencer Kelly Klein, em um combate que foi bastante elogiado. Passado algum tempo, as duas voltam a se enfrentar agora que Mayu provou seu valor defendendo o cinturão na Stardom.

Alguns consideram que as melhores prestações de Klein na empresa foram seus combates contra Iwatani, então pode-se esperar pela repetição da qualidade vista em seu último confronto, com mais ímpeto da desafiante, visto esse ser o “rematch” daquele combate onde saiu por baixo.

Ainda assim, Mayu tem pouco menos de um mês como campeã, além de estar escalada para o show do MSG, o que me faz ter poucas dúvidas de que ela vá sair como vencedora desta luta. Claro que, se tratando da RoH, podemos esperar por pelo inesperado, e uma nova troca de título não é uma opção descartada. Mesmo assim, continuo acreditando que a japonesa permanecerá como a WoH Champion.

Vencedora: Mayu Iwatani (AINDA CAMPEÃ)

Fábio Santos – Por esta não estava à espera, pois a Kelly Klein parecia ser uma derradeira aposta da ROH na Women of Honor, mas de repente foi perdendo e teve um 2018 que terminou numa nota boa, pois no Final Battle capturou o que merecia... o Women of Honor World Championship!

No entanto surge Mayu Iwatani e para fortalecer um pouco a parceria que a ROH tem vindo a ter com a NJPW e com a Stardom, colocam a jovem lutadora japonesa como a campeã da ROH e agora vem a "obrigatória cláusula de desforra" para este PPV.

A Kelly Klein tem talento não há como negar mas sinto que naqueles em que devia brilhar, parece que ela erra e não vai de encontro às expetativas e daí que muitas vezes tem havido poucas oportunidades para Kelly continuar a combater! E neste caso, contra a Mayu Iwatani parece ser mais um teste para Kelly se adaptar a estas situações de grande tensão no ringue.

Sinto que a Mayu está apenas como campeã de transição para que a próxima campeã esteja pronta para continuar a construir o legado da Women of Honor e sinceramente creio que Kelly vai capturar de novo o título antes de chegar ao Madison Square Garden num combate que acho que tem potencial para ser muito bom se lhes derem o tempo suficiente!

Vencedora: Kelly Klein (NOVA CAMPEÃ)



ROH World Tag Team Championship Match
The Briscoes (Mark & Jay Briscoe) © vs. Villain Enterprises (Brody King & PCO)

Diego Meira – Todos nós sabemos que os irmãos Briscoe são sinônimos de campeões de duplas. Agora, em uma faceta heel, são ainda mais obstinados em manter seu ouro de qualquer um que tente sua sorte contra eles. Mas dessa vez, duas “wild cards” apareceram em seu caminho...

Associados a Marty Scurll em sua briga com o Kingdom, Brody King e PCO se tornaram grandes favoritos do público em pouco tempo, muitos pensavam que neste evento veríamos a Villain Enterprises a desafiar o time de Matt Taven pelos títulos de trios. Mas, no meio do caminho, King e PCO venceram as Tag Wars nos eventos de janeiro da RoH, garantindo uma title shot contra os campeões.

Dessa forma, o combate com o Kingdom ficou para uma outra oportunidade, e Briscoes vão ter que defender os títulos perante a Entreprise. Para apimentar ainda mais a história, Jay e Mark exigiram que o combate fosse um No Disqualification match, combate em que ambos possuem grande experiência, e onde terão liberdade para infligir toda a dor que desejarem.

Porém, algo pesa contra a VE. No evento do Madison Square Garden, os irmãos de Delaware possuem marcado um combate contra os Guerrillas of Destiny, e possivelmente não seja muito bom que eles saiam em baixa às vésperas de uma luta desta importância. Sendo assim, não acho que PCO e Brody conseguirão vencer a luta, consequentemente tendo os Briscoes como nossos campeões por mais algum tempo.

Vencedores: The Briscoes (Mark & Jay Briscoe) (AINDA CAMPEÕES)

Rui Gil – Este talvez seja o combate mais difícil de prever do show, de um lado temos PCO e Brody King que estão imbatíveis enquanto equipa na ROH e com um grande apoio do público sempre que entram ação, ainda por mais com Marty Scurll como líder da stable, do outro temos os 10x campeões da ROH e também num excelente momento na carreira, com um fantástico trabalho de heels sedentos de vitórias, os Briscoes.

Temos aqui os ingredientes todos para um excelente combate, o fantástico in-ring work dos Briscoes que já todos conhecemos e o power-house atlético B. King com a imprevisibilidade e loucura de PCO.

Escolhi como vencedores os Briscoes porque acho que são a escolha certa para entrar como campeões no evento G1 Supercard no Madison Square Garden, se há equipa indicada para representar a ROH como campeões de equipas são os irmãos de Sandy Fork.

Não tenho dúvidas que os Villian Enterprises vão ganhar títulos num futuro próximo, mas acho que não vai ser aqui. Para além disso quero muito ver os Briscoes a enfrentar os GoD no G1 Supercard, tem tudo para ser épico.

Vencedores: The Briscoes (Mark & Jay Briscoe) (AINDA CAMPEÕES)



ROH World Championship Match
Jay Lethal © vs. Matt Taven

Fábio Santos – O derradeiro combate que a ROH tem andado a construir nestes últimos meses e que promete ser muito pessoal, visto que num lado temos um campeão que luta pela companhia com o coração (Jay Lethal) e no outro lado, temos alguém que acha que merecia já ser ROH World Champion há mais tempo (Matt Taven).

Com a saída dos Elite da ROH e da NJPW, a realidade começa a apertar para a ROH principalmente pois esta precisa de apostar nas estrelas que lhes têm dado o litro como é o caso destes dois, que facilmente se tornaram em dois lutadores que foram melhorando ao longo destes anos todos, tornando-se nas atrações principais da companhia.

Ainda pensei que estivessem a guardar este combate para o "main-event" do Madison Square Garden, mas conforme já foi anunciado por Marty Scurll, este quer batalhar no G1 Supercard pelo título e portanto, a única forma que vejo isto terminar neste PPV é uma vitória de Jay Lethal, mas é outro caso bicudo porque toda a construção desta rivalidade vai levar a que Taven não seja campeão!

Espero que saia daqui um grande combate e muito pessoal, que envolva todos os elementos da história, desde o título estragado por Lethal até possivelmente a interferência dos Kingdom e dos Lifeblood, mas no final da história, Lethal vai ser campeão para o Garden.

Vencedor: Jay Lethal (AINDA CAMPEÃO)

Rui Gil – Nesta “Nova Era” na companhia temos no main event o combate mais importante do show, tal como mandam as regras. De um lado o franchise da ROH, o campeão Jay Lethal, do outro o líder dos Kingdom e um dos principais heels da companhia.

Nesta era de mudança penso que tudo aponta para uma mudança de título, esta é a melhor altura para isso acontecer e sinceramente sinto que o Lethal já nem precisa do título por todo o legado que já construí.

Taven por todo o trabalho heel fantástico que tem feito e também pelas suas excelentes capacidades in-ring parece-me ser o candidato perfeito para representar a companhia daqui para a frente. Até porque temos uma nova stable, os “LifeBlood”, que julgo que depois da vitória de Taven ainda se vai focar mais nos Kingdom numa nova grande feud.

Apesar de Matt Taven já se auto-proclamar ROH Champion, depois de Lethal e dos Lifeblood lhe terem arruinado o seu purple belt (e de toda a “Kingdom Conspiracy” que o grupo fala há meses), ganhamos mais uma razão para acreditar que Taven vai fazer tudo para ganhar.

Apesar de preferir que o Taven vencesse limpo, e acho que tem mais que credibilidade para o fazer, se vencer devemos ter uma interferência de Vinny Marseglia ou TK O’Ryan, já na senda de começar o choque com os Lifeblood, que têm como objetivo devolver a honra aos ringues da companhia.

Vencedor: Matt Taven (NOVO CAMPEÃO)




PS: Não esquecer que, daqui por umas horas começará a transmissão ao vivo do ROH 17th Anniversary Show, que contará com o habitual "chat" para podermos conversar e as "streams". Bom PPV para todos!

Sem comentários:

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.