Ultimas

Impact Wrestling Homecoming 2019 review

Johnny Impact e Taya Valkyrie, um casal de campeões



Data: 6 de janeiro de 2018
Arena: The Asylum
Localidade: Nashville, Tennessee




Ultimate X match pelo Impact X Division Championship:
Ethan Page vs. Jake Crist vs. Rich Swann vs. Trey Miguel
Rapidamente houve tentativas de subir e percorrer os cabos até ao cinturão e também rapidamente houve quedas lá de cima. Seguiram-se tentativas dos quatro lutadores em deixar os adversários fora de combate e depois tentar chegar ao título, com spots à mistura.
Rich Swann foi mais rápido a escalar a estrutura e a percorrer os cabos do que Trey Miguel e acabou por alcançar o triunfo.
Vencedor: Rich Swann (novo campeão)
Nota: 6,5/10


Jordynne Grace e Kiera Hogan vs. Allie e Su Yung
Combate feminino com muita palhaçada e assim nem tanto wrestling, com Allie e Su Yung a alcançarem a vitória após uma espécie de Manible Claw.
Vencedoras: Allie e Su Yung
Nota: 3/10


Falls Count Anywhere match:
Eddie Edwards vs. Moose
Eddie Edwards não perdeu tempo e atacou Moose durante a entrada deste, mas acabou por cair nas garras do poderoso adversário antes de o duelo prosseguir para a zona das bancadas.
De volta ao ringue, o já ensanguentado Edwards atirou Moose por cima da corda superior, fazendo-o cair num gradeamento que estava montado entre a borda do ringue e uns degraus.
A dada altura, a mulher de Eddie Edwards tirou-lhe um kendo stick das mãos para ela própria bater em Moose com a arma, tendo Edwards finalizado a ofensiva com mais uma stickadas e o DDT vitorioso.
Vencedor: Eddie Edwards
Nota: 8/10


Willie Mack vs. Sami Callihan
Willie Mack atacou Sami Callihan quando este último ainda não tinha finalizado a sua entrada em ringue, iniciando assim um período de domínio que durou alguns minutos.
O duelo, que envolvia dois pesos pesados com bastante rapidez e agilidade, tornou-se um interessante espetáculo, com Willie Mack a mostrar capacidade voadora e resiliência, resistindo aos duros golpes de Callihan. Bem, só não resistiu ao Piledriver final.
Vencedor: Sami Callihan
Nota: 7/10


Monster's Ball match:
Abyss vs. Eli Drake
Combate hardcore à boa moda de Abyss, que protagonizou um spot incrível ao projetar Eli Drake para fora do ringue e consequentemente para cima de duas mesas através de um Belly to Belly Suplex.
Pouco depois, Abyss plantou Eli Drake para cima de pioneses, mas nem assim conseguiu a vitória. Eli Drake ripostou com violentas cadeiradas, mas também não alcançou o triunfo apesar dos danos causados. Eli Drake voltou à carga com uma espécie de remo na cabeça de Abyss, e aí conseguiu sair vitorioso.
Vencedor: Eli Drake
Nota: 7/10


Impact World Tag Team Championship:
The Latin American Xchange (Ortiz e Santana) (c) vs. The Lucha Bros (Fénix e Pentagón Jr.)
Voadores, velozes e furiosos, os The Lucha Bros entraram a todo o gás, dando espetáculo ao exibir um vasto arsenal aéreo. Quando tiveram oportunidade, os LAX seguiram o mesmo rumo e rechearam o combate de spots incríveis.
Após uma contenda emocionante e espetacular, os LAX conseguiram manter o título após um double team.
Vencedores: The Latin American Xchange (Ortiz e Santana)
Nota: 8,5/10


Impact Knockouts Championship:
(Gail Kim como árbitra convidada)
Tessa Blanchard (c) vs. Taya Valkyrie
Combate muito agressivo, que não se ficou pelo ringue. Tessa levou-o até às imediações, onde causou estragos fazendo uso da barreira de proteção.
Minutos após o regresso ao ringue, Tessa atingiu Gail Kim e depois aplicou um DDT em Taya, mas não havia árbitro para fazer a contagem. Com o passar do tempo, a animosidade entre Gail e Tessa foi subindo de tom, até porque Tessa dominava, mas os assentamentos que fazia ficavam a centésimos de segundo de chegar ao fim.
A dada altura, Gail Kim fartou-se e executou um Eat Defeat em Tessa, permitindo a Taya aproveitar para aplicar o seu finisher e alcançar o triunfo.
Vencedora: Taya Valkyrie (nova campeã)
Nota: 4/10


Impact World Championship:
Johnny Impact (c) vs. Brian Cage
A força bruta de Brian Cage contra a velocidade e agilidade de Johnny Impact, num duelo não só de wrestlers, mas também de estilos contrastantes.
A toada de estilos contrastantes foi prosseguindo, mas o combate estava mais a arrastar-se do que propriamente a desenvolver-se, parecendo não haver um grande fio condutor, o que se agudizava tendo em conta os cânticos desadequados dos fãs, o que já é um apanágio do Impact Wrestling/TNA.
Depois de ter sofrido um golpe de alto impacto a partir da corda superior, Brian Cage esqueceu o selling e desatou a aplicar Powerbombs e outras projeções violentas em Impact, mas o campeão conseguiu sempre arranjar forma de se safar nos assentamentos. E numa fase em que estava a ser dominado, surpreendeu Cage com um roll-up que teve tão de engenhoso como de botchado, alcançando assim o triunfo.
Vencedor: Johnny Impact
Nota: 5,5/10


























19 comentários:

  1. não adorei este ppv, muitos problemas técnicos.

    LAX Vs Lucha bros devia ter recebido uma nota mais alta.
    assim como o do Tessa/TaYa


    "cânticos desadequados dos fãs, o que já é um apanágio do Impact Wrestling/TNA." - aqui revelaste a cor da costela...

    ;)

    "Combate feminino com muita palhaçada "

    pergunto-me se quando a WWE faz o mesmo (mais psicologia), também respondes com isto.

    ResponderEliminar
  2. Cor da costela? A minha costela é o pro wrestling, da WWE ao wrestling nacional.

    Mas este Impact Wrestling é uma espécie de versão absolutamente defeituosa da TNA que adorava entre 2006 e 2010. Além de olhar para o roster e não ver nenhum wrestler de top mundial, os fãs da companhia são uma coisa bastante difícil de definir: batem palmas a imitar os cânticos dos Elite para apoiar um wrestler que nada tem a ver com a stable, só reagem histericamente aos golpes e não apoiam de forma concreta um wrestler, há muitos lutadores que parecem com problemas de peso (... e outros de esteróides), a divisão feminina deixa muito a desejar, não há uma superstar verdadeiramente carismática, etc.

    Mas uma caixa de comentários para debater este tema é curto. Dava um artigo composto, uma dissertação. Este Impact Wrestling é menos do que uma sombra da antiga TNA. Ainda me lembro de nos primeiros anos na blogosfera, em 2007 e 2008, por exemplo, se criticar a TNA pelo mau booking ou pelo ringue hexagonal ou porque apostava em suposto lixo da WWE. Hoje, quem lhes dera ter um Kurt Angle, um Christian Cage, um AJ Styles, um Samoa Joe, uns Motor City Machine Guns, uns Beer Money e até um Jeff Jarrett, um Booker T, um Sonjay Dutt, um Jay Lethal, um Sting, etc.

    ResponderEliminar
  3. Orá cá está essa costeleta wwe a aparecer já sem qualquer timidez!

    "não há ninguém de top mundial" - Cage, Tessa, LAX, Lucha Bros, Eli Drake, Johnny Impact, The Rascals, Sydal, Rich Swann, etc...bah...ficavámos aqui o dia todo....deixa de ser troll, meu pequenote!

    "não há uma superstar verdadeiramente carismática, " - [Eli Drake olha para esta desculpa de comentário...sorri e abana a cabeça pensando o quanto este vai aprender de wrestling nos próximos anos]

    "peso a mais.........um Samoa Joe,"...err.....certo. (WTF!!!!! pela boca morre o peixe)

    Divisão feminina? lol meu pequenino, temos a Tessa, Rosemary, Taya, Hogan, Su Young, Grace, Katrinna, Allie....és a sticom do wrestling! só fazes rir!

    Tens algum tag match melhor que o LAX Vs Luch Bros do Homecoming na wwe nos últimos tempos?...oi?....não ouvi....exacto....caladinho, muito bem.

    Tens um booking muito melhor do que havia antes e 'brand' Impact é muito mais respeitada do que dantes era.

    O Roster do Impact é tão mau mas vocês, na wwe kids, estão sempre a tentar sacar uns gajos para aí.....

    "err...pois...eu consigo explicar isso...quer dizer...posso tentar"

    em que ficamos? consegues ou não gaguejar uma desculpa para isto?


    Preocupa-te é com o facto que tens abéculas como Lesnar, Orton, Cena, Mahal, CArmella, Reigns, etc,etc,etc, junto de títulos mundiais.

    booking muito fraco onde lesnar, roode, ziiggler, drew (mais um que não valia nada no Impact, né?), balor, nakamura são super mal usados

    Fica com wwe snore fest que nós vamos vendo coisas mil vezes melhor que isso ...a wwe está passar o pior período dos últimos 30 anos! não tentes disfarçar!

    lolão! pobre diabo!

    ResponderEliminar
  4. *
    booking muito fraco onde lashley, roode, ziggler, drew (mais um que não valia nada no Impact, né?), balor, nakamura são super mal usados

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que ainda há alguém a apreciar o Impact Wrestling, porque desejo a extinção à companhia LOL

    ResponderEliminar
  6. Vou apenas publicar aqui dois links que muito ajudam a explicar aquilo em que me revejo.

    Em primeiro lugar, a lista de candidatos a prémios do Wrestling Observer, que não contempla nada do Impact Wrestling pela positiva: https://wrestlingculture.com/news/wrestling-observer-newsletter-awards-2018-winners/

    Depois, a lista de melhores combates de 2018 de Dave Meltzer, onde apenas aparece um único combate do Impact, e mesmo assim com apenas com 4 estrelas (Johnny Impact vs. Austin Aries no Bound Four Glory): http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1&year=2018

    E convido também a ver a lista de 2017, onde nenhum combate é referido: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1&year=2017

    2016 idem: http://www.profightdb.com/top-rated-matches.html?pg=1&year=2016

    ResponderEliminar
  7. Eu tinha de vir deixar o meu comentário porque ambos os pontos de vista são interessantes para discutir, mas claro que sem insultar ninguém!

    Olhando para os pontos do David Pereira, só há uma coisa que concordo a 100% com ele e que o - mostra só mostra que não tem capacidade para admitir críticas do produto quando elas existem mesmo... o Star Power!

    Como é que hei-de explicar isto para que se possa perceber?
    - É verdade que tens talentos como o Cage, Johnny, Killer, os LAX, os Lucha Bros, mas se formos a olhar para a TNA que era em 2012 por exemplo, o produto perdeu bastante Star Power e não venhas com tretas a dizer que tens este, este e aquele, porque perdeste muitos talentos (as vezes desnecessariamente e por culpa de más decisões).
    - Acho que tenho um exemplo melhor para te dar... a ROH e a NJPW vão ter um show em conjunto no histórico edificio do Madison Square Garden em Abril e honestamente qual ou quais os lutadores que trouxeram olhos ao produto da ROH/NJPW que fez com que esse show esteja esgotado? Consegues responder a isto?
    - Ainda te faço outra pergunta... porque é que achas que o IMPACT Wrestling nunca arriscou por esta altura meterem-se a anunciar um show destes num edíficio histórico como o Madison Square Garden? Foi por não haver oportunidade, ou por não haver olhos suficientes no produto ou lutadores com a capacidade de vender bilhetes de uma forma explosiva?

    São duas perguntas que faço para perceber os teus pontos de vista sobre o produto! ;)


    Mas agora olhando para os pontos do -
    - Este PPV foi melhor que muitos que a WWE apresentou no ano de 2018 não tenho dúvidas disso... o público esteve ao rubro em tudo o que podia e os combates não desiludiram!
    - E sim... em 2018 a WWE foi buscar lutadores do IMPACT que depois levaram booking desastroso como o caso do Lashley (que é o caso gritante neste momento)
    - Sobre alguns dos combates... destaco o regresso previsivel mas bem feito por parte da Rosemary, o combate dos Lucha Bros vs. LAX por ser tão dinâmico e por não haver interferências absurdas, o Mack vs. Sami, o Eli vs. Abyss!
    - Apenas fiquei desiludido e concordo com as notas do David... a Tessa vs. Taya e o Johnny vs. Cage tiveram demasiado hype e não me ultrapassaram as expetativas, mas não quero com isto dizer que foram maus... apenas acho que por exemplo a Taya vs. Tessa do Bound For Glory foi bem melhor que isto (e atenção não foi pela Gail estar envolvida que teve bem no papel dela).


    Por último David, é bem sabido que o tio Dave tem também uma reputação por não gostar do produto do IMPACT, portanto os Observer Awards já perderam a credibilidade ha algum tempo e que só joga para um lado apenas, exagerando às vezes.

    Um bom ano para ambos e boa review da tua parte David...

    ResponderEliminar
  8. Confesso que não percebo a 'panca' com o Johnny Impact aka John Morrison. É um gajo que tem um move-set engraçado, que em gimmick matches como o Money in the Bank ou o Royal Rumble apresentava algo inovador, mas não é lutador para ter um combate consistente de 20 ou 25 minutos, seja como heel ou até mesmo como face.

    Não resultou na WWE como o Cody não resultou, mas por exemplo o Cody com mais poder sobre a personagem e noutro contexto como a ROH consegue coisas muito boas, algo que o Impact não.

    Mas muito mais do que a falta de star power, é a falta de carisma. Porque AJ Styles, Samoa Joe, Beer Money, os velhos LAX e os Motor City Machine Guns também não tiveram que passar pela WWE antes para serem grandes atrações.

    Que grande X-Division que havia, que grande divisão de tag team que havia, que grande divisão feminina que havia, que necessidade houve na altura para criar aquele titulo que mudou de nome 123456789 vezes... Até o Sting e o Jeff Jarret com aquele idade participavam em bons combates!

    Acompanho a TNA sensivelmente desde 2006 ou 2007 e comecei a acompanhar ROH muito depois, mas hoje gosto muito mais de ROH do que do Impact. E depois vou ver o Wrestle Kingdom 13 e fico com muito mais vontade de seguir os próximos eventos do que de seguir o Impact.

    ResponderEliminar
  9. eu ainda estou meio de boca aberta que um assumido Hater de Impact fez uma review de impact...


    é um pouco como pedir ao Hitler para ser júri de um concurso de misses de judeus num campo de concentração, não?

    :/

    ResponderEliminar
  10. https://wrestling.pt/wwe-proibe-fas-da-aew-de-entrar-no-smackdown/

    medo!!!!!!!

    reacção:
    "Braun Strowman esqueceu todas as suas linhas das suas falas"

    lol até já tremem todos!

    é só "charisma" & "star power"....já nem precisam de falar no mic! as promos são transmitidas mentalmente para os pequenotes!

    muahahnahha!

    ResponderEliminar
  11. Impact passou por uma renovação que salvou a extinção da empresa, as recentes aquisições da AAA reforçaram e si trouxeram starpower a empresa(ou lutadores como Aleister Black, Drew McIntyre, ECe e outros só são 'stars' quando passam pela WWE? Quer dizer que Eli Drake,Cage, Johnny Impact, Pentagon Jr, Fenix, Taya, Tessa, Roseramy, LAX e entre outros não são 'starpowers' suficientes? Só se forem a WWE?)

    Concordo que a TNA do período citado possuía mais "starpower" (que na época nem eram tão starpower assim, contendo exceções como Aj Styles, Kurt Angle e Sting) porém o ringue hexagonal, gimmicks mal construídas, storylines mal desenvolvidas não me despertava quase nenhum interesse na TNA da época, diferente do atual Impact.

    Falar sobre falta de carisma em uma empresa com nomes como Eli Drake, Rosemary, Sami Callihan, Moose, ou é desconhecimento dos mesmos ou má vontade para qual a empresa.

    Podemos perceber essa má vontade ao dizer que John Morrison não tem capacidade para combates consistentes de 20 a 25 minutos é ignorar seu passado na WWE e afirmar nunca ter assistido ao Lucha Underground. Quando o não gostar passa a influenciar em uma análise técnica, a invalidação da crítica é automática!

    ResponderEliminar
  12. "Falar sobre falta de carisma em uma empresa com nomes como Eli Drake, Rosemary, Sami Callihan, Moose, ou é desconhecimento dos mesmos ou má vontade para qual a empresa."

    #gospel

    mas ele próprio já admitiu que se for preciso mente (!), que quer acabar com a empresa que acompanha há muitos anos (!!!) e que fala com profundo conhecimento de causa (not).


    Enfim, um comediante.

    ResponderEliminar
  13. Dito isto, quero deixar claro que até gostei bastante da crónica....e citei os pontos acima a serem melhorados futuramente.

    É um escritor a acompanhar pois nota-se que vai crescer nos próximos tempos.

    ResponderEliminar
  14. Fábio, não te tinha respondido, desculpa, esqueci-me:

    Sim, temos nomes menos sonantes...não há um Hogan, Hardy, Jarret, Nash...mas sabes que mais?

    Gosto mais assim.

    É como se tivéssemos cortado toda a gordura e produto é agora um "mean slim machine".

    Gosto mais.

    E o booking 'muy fuerte' que existe hoje em dia, também ajuda a gostar mais do produto, claro (é uma das críticas que se aponta a WWE..além de muita coisa, o booking preguiçoso).

    - Sim, há menos gente a ver..seja Impact, seja wrestling em Portugal, sem nos States..mas 'no escuses', há menos gente a ver e não vai ser amanhã e nem daqui um ano que o Impact vai encher um madison square garden (como o ROH conseguiu teve com preciosa ajuda da NJPW e do pessoal agora no AEW).

    E claro sabe bem ter 70.000 a ver uma Mania...mesmo quando o produto é inferior com regularidade do que a concorrência, eles usam sempre isso como escudo (tal como as novelas & reality shows terem mais audiência neste país de velhos que um bom filme, por exemplo).

    Ok, usou-se como escudo ou sentiste-te melhor por ter + gente a ver.

    e?

    sim, ouviste bem....ouve, tenho estado a ver MLW este ano e estou adorar.

    Tem pouca gente? e então? os combates são piores por isso? o booking sofre com isso? as promos?...bom...acho que já percebeste.

    O Hereditary foi o melhor filme de terror do ano...talvez o melhor, ponto.

    90% do zé povinho nunca ouviu falar dele.

    Isso faz do filme melhor ou pior?

    Toda a gente já viu o Avatar, Titanic e Aquaman.

    Não deixam de ser m*rda.

    - Boa pergunta quanto ao porque do Impact ainda não ter ido ao MSG. Não é uma questão de lutadores, a meu ver. Mesmo que sacássemos o Bryan, Punk e Omega, dúvido que temos pessoas suficientes nos States a ver para irem lá.

    É mais o tamanho da empresa que os lutadores nela.

    Repara como Drew, Lashley, AJ, Joe, etc são adorados na WWE e "sempre companharam a carreira deles" mas quando estavam na TNA, essas mesmas pessoas não davam nada por eles (lembro-me ao longo dos anos, n' fans de WWE mandarem farpas ao AJ..agora, é o maior).

    É nessas alturas que dou valor aos fans + velhos: Hogan adormeceu antes, durante e depois da TNA.

    Há menos "clubices" nos fans de Impact...se é bom, é bom...se é uma mau, é mau (a tag team de indianos do Impact é uma m*rda por mais voltas que o booking tente dar volta aquilo)....e respeito isso, sabes.



    Creio que consegui responder....de uma maneira que conseguiste perceber.
    >;b



    Novamente, boas perguntas, gostei.

    PS - estou a gostar bastante do debate que estamos aqui a ter nesta página...muito interessante.

    ResponderEliminar
  15. Verdade, mas não vale a pena sermos arrogantes.

    Ainda agora estive a olhar para o card do Bound For Glory 2008. Nessa altura eu era um fã acérrimo da companhia e gostava que agora fosse (pelo menos para mim) uma alternativa à WWE, algo que procuro na ROH e em alguns eventos da NJPW.

    Não consigo gostar do produto atual da mesma forma que vocês gostam, mas só tenho de aceitar e respeitar a vossa opinião.

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Foi melhor que todos os ppvs que a wwe fizer esse ano

    ResponderEliminar
  18. Bom esse David Pereira é o famoso baba ovo da wwe então não vai reconhecer a qualidade do ppv, sobre a lista do Meltzer o mesmo é BASTANTE TENDENCIOSO para WWE e NJPW( forçado estrelas).
    Com relação a Star Power acho que apesar de ser o mais baixo da empresa isso força a criação de novas estrelas( algo que só vai tá consolidado em 2020).
    Se olhar até a WWE sofre de star power e está contratando igual a maluco pq seu booking é horrível.

    ResponderEliminar

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.