Ultimas

Cara ou Coroa #2 - Triple H


Na segunda edição do Cara ou Coroa, trazemos um dos wrestlers mais títulados da história do wresting. Com 14 títulos mundiais no total, Triple H ainda faz parte do panorama da WWE, apesar de aparecer consideravelmente menos vezes e de ter trocado os ringues pelo fato, sendo ele atualmente, um dos donos da empresa.


Ao longo de quase 25 anos de carreira na WWE, vimos Triple H a encarnar as mais diferentes gimmicks. Desde o Hunter Hearst Helmsley no seu ano de estreia na WWF em 1995, à dupla dos DX com Shawn Michaels de 1997 a 1999, ao The Game/ Cerebral Assassin de 2000 a 2002, a membro dos Evolution de 2003 a 2005 e mais recentemente, como figura máxima da Authorithy e fundador da NXT.

Leiam com atenção as próximas linhas, em que tentaremos escolher e explicar qual a melhor gimmick da longa carreira de Triple H para nós.

"The Game/ Cerebral Assasin" 
(2000 a 2002 - Heel
Escolha de Nélson Mota

Triple H sempre viveu na sombra de Shawn Michaels. Não há como negar! É algo que sempre estará bem presente na cabeça do The Game e algo bem conhecido pelos fãs do wrestling até aos dias de hoje.

No entanto, houve um período da história em que esta "luta de egos" entrou em colisão no wrestling e protagonizou uma das maiores e melhores rivalidades de sempre. Mas já lá vamos!

Em 1998, a WWF perdia um dos melhores wrestlers de sempre devido a uma 'reforma antecipada'. Shawn Michaels, devido a problemas de costas, sofreu um revés inesperado na carreira e esteve afastado dos ringues durante quatro anos, mas felizmente conseguiria voltar aos ringues mais tarde.

Durante estes anos, outra superstar atingiu o topo: Triple H. É verdade, Hunter Hearst Helmsley, passou de sidekick e de crónica sombra de HBK a estrela da empresa, tendo sido ele o que mais beneficiou do afastamento de Michaels. Muito tinha mudado na carreira de Triple H que durante esses quatro anos transformou-se no The Game e Cerebral Assassin. 

Felizmente para o Universo WWE, Shawn Michaels conseguiria fintar o destino e voltar aos ringues a de 3 junho de 2002 e juntava-se à nWo através de Kevin Nash. Infelizmente para Triple H, isso significaria passar uma vez mais para segundo plano e dividir a ribalta com o ex-companheiro dos DX.

E assim, em 2002, o Universo WWE viu nascer este lado invejoso de Triple H e pôde assistir a uma das maiores rivalidades da história da empresa entre dois melhores amigos, quase irmãos dentro e fora dos ecrãs e "parceiros do crime nos DX".

O emocionante reencontro aconteceria no Raw de 22 de julho de 2002. Este momento era suposto ser a reunião dos DX, mas Triple H tinha outros planos em mente. Para espanto de todos Triple H atacou Michaels, aplicando-lhe um Pedigree.

Na semana seguinte, HBK aparece ensanguentado no parque de estacionamento. Alguém tinha-o empurrado contra o vidro de um carro. Triple H, foi a correr em auxílio do ex-melhor amigo e, apesar das divergências, prometeu descobrir o autor do ataque. Michaels falou no ecrã e disse que, através das câmaras de vigilância, descobriu que quem tinha orquestrado o ataque tinha sido o seu ex-melhor amigo Triple H e este, sem hipótese de defesa, admitiu o ataque.

Triple H admitiu que usou o Shawn para chegar ao topo e agora era a vez dele ser o main eventer e Show Stopper da empresa. Estes eventos levaram ao começo de uma longa e violenta feud e assim começou uma das melhores rivalidades, naquele que foi um dos melhores PPV's de sempre: Summerslam 2002.

O embate entre estes pesos-pesados foi num Street Fight no SummerSlam, no qual Michaels fez a sua estreia depois da lesão e venceu. Depois disto, mesmo assim, Triple H atacou-o com a sua marreta. 

Apesar da derrota, Triple H afirmou-se como um main eventer e conquistou quase tudo o que havia para ganhar até aos dias de hoje.

Paul Levesque 
(2012- Atualmente- Face)  
Escolha de Luís Barros 

Pensei imenso sobre que versão do Triple H explorar, não conseguia escolher a fase do inicio dos anos 2000 ou dos Evolution porque isso coincidiu com a era em que o Triple H era o todo poderoso e o seu poder dentro da WWE levou à desvalorização de muitos talentos como Booker T. Também pensei na personagem do “Last Outlaw” que aparecia na altura da Wrestlemania e fez parte da sequência de combates com o Undertaker em 2011 e 2012, alguns dos melhores combates do Dead Man.

Mas decidi ir fora da caixa, e escolhi a personagem Paul Levesque, esta personagem é raramente mencionada na programação da WWE, mas é uma parte integral do melhor que ela tem para oferecer, a NXT. Para quem não sabe, Paul Levesque é o nome verdadeiro de Triple H, é o criador e mente criativa por trás da NXT, é uma das figuras mais influentes no backstage e quem trouxe para a WWE alguns dos nossos wrestlers favoritos.

Acaba por ser irónico que alguém que enterrou tantos wrestlers que os fãs adoravam, agora é quem nos faz adorar e apoiar esse mesmo tipo de wrestlers na NXT. A influência de Paul Levesque é gigante, junto com a sua mulher Stephanie McMahon deram inicio à revolução do wrestling das mulheres na WWE, criou contratos com várias empresas de wrestling do Reino Unido e tem sido influente no boom do British Strong Style na cena internacional.

Mas vamos falar da NXT, que é o seu bebé e aquilo pelo que o conhecemos melhor. Em 2018 a NXT e as Takeover’s foram tão boas, que acabaram por ultrapassar os níveis de qualidade oferecidos pela NJPW. Se à 2 ou 3 anos me dissessem algo assim, eu ria-me e não acreditava, mas cada Takeover este ano pode ser considerada uma das melhores PPPV’s da história da WWE. O nível de qualidade que foi atingido é de deixar água na boca pelo dia em que o Paul Levesque tomar conta do main roster, porque o Vince McMahon não dura para sempre e vamos ser honestos, não tem tomado as melhores decisões.

Passar de um dos wrestlers mais odiados, para um dos melhores bookers dos últimos anos não é para qualquer um, mas está aqui a prova que ele não é “Cerebral” apenas na personagem, porque tudo isto pode trazer muito, mas muito dinheiro à WWE. Porque há quem diga que o que funciona na NXT não podia funcionar no main roster, e a isso eu chamo treta, porque pode funcionar, as pessoas veem o Raw ou o Smackdown pelas histórias a ser contadas, porque o wrestling é isso, é como uma série onde há histórias mas estas são contadas no ringue, e o local onde há as melhores histórias é na NXT. Tenho a certeza que se trocasse a NXT pelo Raw durante 1 ano, os ratings subiam de imediato e voltava a ser “fixe” ver wrestling.

Para concluir, eu escolhi o Paul Levesque, porque nenhuma das personagens dele revolucionou e influenciou tanto o mundo do wrestling como ele mesmo, a pessoa real atrás das câmaras, e acho que em nome de todos os fãs de wrestling, um obrigado.

Estas foram as nossas escolhas!

E vocês, o que acham?
Concordam com as nossas escolhas?
Qual consideram ser a melhor versão de sempre da vasta carreira de Triple H?

1 comentário:

  1. Na minha opinião, a gimmick de Cerebral Assassin e da Evolution são as melhores! Ele tornou-se por volta de 2002 a 2005 a cara da companhia, e como heel, o que é um feito notável! A partir daí construi-se uma lenda, e quer queiram, quer não, o melhor heel de sempre, e uma das maiores superstars de sempre! Falamos de alguém que respira e ama o Wrestling!

    ResponderEliminar

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

Com tecnologia do Blogger.